Dieta cetogênica: Moda ou ciência?

Um estilo de vida com menor teor de carboidratos tem sido muito aderido pelas pessoas atualmente. Uma das dietas preferidas, é a dieta cetogênica, que foi criada na década de 1920, nos Estados Unidos. Estudos mostram o seu efeito benéfico nos casos graves de epilepsia em crianças, e redução das crises convulsivas.

Após alguns anos, vários estudos concluíram que ela poderia também ser utilizada como uma maneira eficaz para auxiliar no emagrecimento rápido, bem como para a redução do apetite. No entanto, embora realmente proporcione bons resultados, essa é uma dieta que necessita de um acompanhamento por profissionais de nutrição, determinando estratégias e prazo para novas abordagens nutricionais.

Neste artigo, vamos explicar o que é a dieta cetogênica, como utilizá-la para garantir um rápido emagrecimento, algumas das suas principais contraindicações e os efeitos colaterais que ela pode provocar. Continue a leitura para saber mais!

A dieta cetogênica

Na dieta cetogênica há um aumento do nível de cetose no corpo, que é um processo metabólico natural, quando existe uma restrição dos carboidratos na alimentação. O organismo converte a gordura em compostos denominados “cetonas” — os quais passarão a ser as suas principais fontes de energia. Esse tipo de dieta é eficaz para a perda de peso, pois muda a resposta hormonal do corpo, priorizando a utilização da gordura e diminuindo a resposta para a fome.

Entretanto, para atingir o estado de cetose, não basta cortar carboidratos. É preciso considerar as necessidades de nutrientes e estado de saúde de cada pessoa. Nesse sentido, é necessário buscar orientações com um nutricionista e só iniciar a dieta após exames laboratoriais, já que a medicina e a nutrição podem servir como meios eficazes para prevenir e auxiliar no tratamento de doenças.

Como as dietas cetogênicas utilizam a gordura para geração de energia, os carboidratos devem ser ingeridos em mínimas quantidades e as proteínas, moderadamente. Esse equilíbrio altera a maneira como as células do organismo obtém energia.

Como acontece o processo de emagrecimento através da dieta cetogênica?

A eficácia da dieta cetogênica para a perda de peso se deve ao fato de que no início da redução de carboidratos, o primeiro estoque de energia a ser mobilizado é o de glicogênio, encontrado no fígado e nos músculos. A redução dos níveis de açúcar no organismo leva à liberação do glucagon, um hormônio antagônico à insulina, que atua na quebra e utilização do glicogênio muscular e hepático.

Quando o organismo consome todo o glicogênio, começa a buscar a energia através dos estoques do tecido adiposo. O resultado é a perda do excesso de gordura corporal, resultando no emagrecimento. 

Como funciona dieta cetogênica na prática?

É fundamental consultar um nutricionista para definir a necessidade energética individual, que leva em consideração diversos fatores, como sexo, idade, altura, peso e nível de atividade física. A partir desses dados é possível estabelecer um limite diário de calorias. Embora a dieta cetogênica seja eficaz, é importante o nutricionista prescritor observar que existem itens pobres em carboidratos, mas que não fazem parte de uma alimentação totalmente saudável, como por exemplo, os embutidos e produtos industrializados ricos em sódio e conservantes. 

Em geral, o cardápio não é pré-definido, mas sim adaptado às preferências de cada indivíduo, observando os alimentos que devem ser priorizados. 

Alimentos que devem ser priorizados

Os alimentos que fazem parte da dieta cetogênica são ricos em gorduras e proteínas e pobres em carboidratos:

  • Abacate
  • Coco;
  • Limão, maracujá, acerola, morangos
  • Café e chás (com adoçantes naturais);
  • Vegetais folhosos
  • Azeite de Oliva Extravirgem;
  • Carnes bovina e suína e aves;
  • Castanhas, nozes, amêndoas, amendoim, pistache e avelã;
  • Sementes: gergelim, chia, linhaça, abóbora e girassol;
  • Iogurte natural integral sem açúcar, nata e creme de leite;
  • Manteiga;
  • Óleo de coco;
  • Ovos;
  • Queijos gordos;

Alimentos que devem ser evitados

Os alimentos ricos em carboidratos devem ser evitados:

  • Açúcar refinado, Açúcar mascavo, demerara, açúcar de coco
  • Arroz branco, arroz integral
  • Aveia;
  • Tubérculos: mandioca, batatas, batata-doce;
  • Leguminosas: Feijão, grão-de-bico, lentilha, soja e ervilha;
  • Frutas (melancia, banana, manga e uva);
  • Leite;
  • Massas e geral;
  • Milho, amido de milho, xarope de milho
  • Mel;
  • Pães, bolachas e biscoitos;
  • Trigo, farinhas de tapioca, féculas de batata
  • Refrigerantes, bolos, fast food, sorvetes e doces.
  • Cerveja.

Necessidade diária de carboidratos

Em geral, na dieta cetogênica clássica, o consumo de carboidratos é extremamente baixo, pois fica entre 4% e 10% das calorias diárias. Já a ingestão de gorduras chega a 90%, não podendo ser menor do que 60%. O restante das calorias é obtido por meio de proteínas.

A quantidade de calorias varia conforme a necessidade individual, mas costuma ser de 1000 a 1400 ao dia. Há uma versão da dieta que reduz radicalmente esse número para menos de 800, conhecida como “VLCKD” (Very Low Calories Ketogenic Diet), que exige um maior controle do número de refeições e cardápio.

Adoção de atividades físicas

Como em qualquer dieta de emagrecimento, o exercício físico é um grande aliado para que a redução da gordura corporal seja efetiva e saudável. No entanto, como o organismo está funcionando com pouca energia, é importante observar alguns cuidados, como deixar a ingestão de carboidratos antes do treino.

Contraindicações

A dieta cetogênica deve ter a indicação do médico ou nutricionista pois existem alguns públicos que devem evitá-la como por exemplo, gestantes e nutrizes. Ela também não deve ser adotada por indivíduos que apresentam riscos de cetoacidose, como é o caso dos diabéticos tipo 1 e tipo 2 descontrolados, pessoas com baixo peso e pacientes com histórico de doenças nos rins e no fígado, bem como alterações cardiovasculares.

Também não é indicada para pessoas com pedra na vesícula ou que estejam fazendo tratamento com medicamentos à base de cortisona. Para todos esses casos, a dieta cetogênica precisa ser autorizada pelo médico especialista e acompanhada por um nutricionista.

Os principais benefícios e cautelas na dieta cetogênica

Na dieta cetogênica há fatores a serem considerados. Um dos seus principais benefícios é a obtenção do rápido emagrecimento. Com isso, a pessoa se sente animada para continuar o processo de perda de peso, podendo aceitar com mais facilidade, a reeducação alimentar posteriormente.

Lembrando que o corpo precisa de um tempo para se adaptar a utilizar a gordura como fonte de energia ao invés da glicose. Este processo que chamamos de cetoadaptação pode gerar no início da dieta alguns efeitos colaterais, que com a adaptação irão cessar.

  • Queda de energia;
  • Cansaço;
  • Dificuldade de concentração;
  • Dor de cabeça;
  • Mudanças no humor;

A dieta cetogênica pode ser adotada como um método eficaz para um rápido emagrecimento e controle de determinadas doenças. No entanto, ela só deve ser adotada por um período estratégico, sendo fundamental ter acompanhamento nutricional. Nesse sentido, é importante considerar que a alimentação tem uma relação direta com a saúde integrativa, devendo ser direcionada preferencialmente, para a prevenção de doenças e qualidade de vida.

Gostou deste artigo? Leia outro post que publicamos e saiba como prevenir doenças!