O que é Síndrome de Burnout e como ela te afeta?

É muito comum um profissional ficar extremamente cansado ou estressado diante de uma sobrecarga de trabalho. Fechamento de um semestre, redação de um relatório importante ou o lançamento de um produto novo são situações em que isso pode acontecer. Porém, depois de um tempo de descanso, é essencial que o profissional se recupere de forma saudável. Você sabe o que é Síndrome de Burnout? Trata-se de um distúrbio onde o cansaço e o estresse se tornam mais graves e aparecem de forma contínua.

A Síndrome de Burnout foi descoberta pelo médico Herbert J. Freudenberger em 1974 e é decorrente de situações relacionadas ao ambiente e atividade de trabalho. Neste artigo, vamos explicar o que é Síndrome de Burnout, as causas, principais sintomas e como procurar o tratamento adequado para sair desse estado. Vamos lá? Boa leitura!

O que é Síndrome de Burnout?

A Síndrome de Burnout é o esgotamento mental total. Ao invés de durar apenas algumas horas, como acontece com o cansaço normal, a Síndrome de Burnout dura dias. Esse nível de cansaço é acima do comum, onde o emocional fica em estado abalado e de estresse. É muito comum que profissionais que exerçam atividades de trabalho que demandam sensibilidade ou ainda se sentem sob pressão, pessoal ou relativa à área.

Após o contato com uma experiência de tensão e esforço cerebral intensos, o cérebro entra um modo de esgotamento onde o profissional não consegue mais trabalhar e muitas vezes se torna perigoso dirigir veículos ou fazer atividade simples, como manter uma simples conversa.

Confira algumas profissões onde se pode sofrer Síndrome de Burnout:

·        Mulheres com dupla jornada;

·        Profissionais de áreas de saúde;

·        Assistência social;

·        Bombeiros;

·        Policiais;

·        Criativos;

·        Professores.

Quais são as causas do Burnout?

Quando exploramos mais o que é a Síndrome de Burnout, percebemos que ela é uma união de fatores psicológicos, muitas vezes mais do que os físicos. O cansaço e estresse relacionados às condições de trabalho e às cobranças e expectativas — sejam elas vindas da pessoa ou de superiores —, causa frustrações e senso de não realização.

Torna-se difícil para os profissionais considerarem a sua própria evolução até chegar onde está, constantemente pensando que não conquistaram o que almejavam.

E, ao sentirem que não realizaram grandes conquistas ou grandes posições e cargos e olham somente para esses “pequenos” problemas, deixando acumular os sentimentos negativos das frustrações com o cansaço extremo da rotina de trabalho.

Outro fator que continua muito comum é a baixa remuneração do profissional, muitos mesmo com diplomas de graduação. Quando o profissional considera a baixa de contratação do mercado de trabalho e sua situação atual, muitas vezes prefere (ou precisa) ficar nela.

Ou seja, até os que sabem o que é a Síndrome de Burnout, muitas vezes podem acabar se conformado com ela (o que pode gerar uma depressão).

Quais são os sintomas da Síndrome de Burnout?

Alguns sintomas da Síndrome Burnout são bem parecidos com um cansaço normal. Por isso, muitas vezes a própria pessoa não reconhece que está sob o Burnout, continuando a trabalhar ou a se esforçar para atender outras atividades.

Outro sintoma muito comum que confunde e prejudica o tratamento do Burnout é o momento depressivo. Ele é muito comum de ocorrer junto com a Síndrome. Quando a pessoa não começa algum tratamento o mais rápido possível, esse transtorno pode se transformar em uma depressão.

Um grande problema é quando a pessoa realiza um autodiagnóstico como depressiva e não inicia um tratamento com acompanhamento de um profissional adequado. Ele sim pode falar se o quadro é uma depressão ou um sintoma da Síndrome de Burnout.

Veja os sintomas e aprenda a identificar o que é a Síndrome de Burnout:

·        sentimento de fracasso;

·        falta de criatividade;

·        sentir muito sono durante o trabalho;

·        falta de vontade de trabalhar;

·        dificuldade de comunicação;

·        irritabilidade;

·        dores e tensões musculares;

·        insatisfação constante com o trabalho;

·        insônia;

·        procura por isolamento;

·        cansaço mental e físico;

·        dificuldade de concentração;

·        falha na memória;

·        procrastinação de atividades.

Como lidar com o Burnout?

A psicoterapia é a principal recomendação de quem tem os sintomas acima de forma constante e especialmente, que dure dias. O psicólogo pode diagnosticar de forma correta se o paciente desenvolveu a Síndrome de Burnout ou se está depressivo depressão. Além disso ele também pode identificar se há depressão gerada pela Síndrome. Na psicoterapia, são abordadas as origens dos sintomas e as motivações do paciente, além de ajudar a identificar as realizações e frustrações.

Em geral, deve-se respeitar o limite em que o corpo chegou e fazer uma pausa. Além de pausas durante a rotina de trabalho (por exemplo, para alimentação), é ideal também que o descanso ocorra em casa. Isto é, ao chegar do trabalho, praticar atividades de puro relaxamento, que não demandem tanta concentração.

Se possível, é recomendável tirar alguns dias de folga para descanso completo. Fazer mais atividades de lazer. Veja algumas sugestões abaixo:

  • ver filmes leves;
  • fazer caminhadas;
  • dormir mais;
  • ler um livro;
  • meditar;
  • fazer massagem relaxante;
  • não trabalhar em excesso;
  • evitar se cobrar demais;
  • não criar ou alimentar demais grandes expectativas.

Qual a relação do Burnout com o mundo moderno?

Com o aumento de tecnologias e a competição entre empresas e pessoas, é comum que o senso de urgência para alcançar metas pessoais ou profissionais — e que estão cada vez mais altas — cause ansiedade. Nessa ansiedade, é como se tudo precisasse ser alcançado no tempo de um clique.

Ao se deparar com uma realidade onde algumas pessoas parecem ganhar dinheiro de formas “fáceis” com os mais diversos empreendimentos (de criadores de conteúdo para redes sociais, motoristas de aplicativos a babás de pets), essa espécie de “tempo de sucesso de um clique” acaba não sendo realizado para muitos.

A comparação com os outros e a auto cobrança geram o sentimento de fracasso, que muitas vezes não é real e sim uma distorção da própria imagem, já que também a autoestima fica abalada (e afeta a visão de si mesmo tanto em questões pessoais quanto profissionais). 

Quando buscar ajuda profissional?

A terapia é recomendada amplamente para desenvolver autoconhecimento, inteligência emocional e aprender a lidar melhor com o próprio eu e com as diversas situações sociais. Não existe um momento adequado para buscar terapia: ela pode ocorrer a qualquer momento quando o paciente se vê diante da necessidade de se conhecer melhor.

Caso o profissional ainda não faça terapia e sinta alguns sintomas da Síndrome de Burnout, é importante observar se esses sintomas são ligados ao ambiente e rotina do trabalho e se eles demoram dias para passar ou, pior, não estão passando.

É importante também aceitar que em alguns casos, pode ser necessária a recomendação de remédios antidepressivos pelo médico, alinhado à psicoterapia pelo paciente.

Ao descobrir o que é Síndrome de Burnout e reconhecer ela em si, o paciente deverá mudar seus hábitos de vida e mudar de função ou de ambiente de trabalho. A Síndrome de Burnout pode ser diagnosticada por um clínico geral, psicólogo ou psiquiatra. Na Clínica Integrative, é possível diagnosticar e dar sequência ao tratamento adequado de acordo com o estágio do distúrbio.

Você sente alguns dos sintomas da Síndrome de Burnout? Entre agora em contato com a Integrative e marque uma consulta para um diagnóstico preciso!

572 Comments

Leave a Reply

Your email address will not be published.