Mindfulness nas empresas: como melhorar sua qualidade de vida no trabalho?

Antes da pandemia do coronavírus, os casos de estresse, síndrome de ansiedade, depressão, pânico e esgotamento (burnout) já eram realidades no mercado de trabalho.

Agora, estão mais acentuados em razão do aumento do desemprego e da constante pressão por resultados. Para combater a essa situação, o mindfulness nas empresas tem sido um diferencial.

De olho em sua qualidade de vida e harmonia nas ações, elaboramos este post com informações imperdíveis sobre essa prática, que se concentra no poder do agora.

Como a rotina afeta negativamente o psicológico das pessoas?

O aumento no nível de competitividade entre as empresas fez com que as exigências profissionais aumentassem. Ou seja, as pessoas precisam apresentar resultados e são monitoradas, por meio de índices de produtividade.

Além das cobranças dentro do ambiente corporativo, existem as demandas do lar, das contas, da saúde dos familiares, do trânsito. Enfim, são tantas tarefas a serem executadas que a sensação que predomina é de preocupação e desespero.

Assim, inúmeros profissionais trabalham mais do que o necessário e se sobrecarregam, ficando estressados, irritados, sedentários e com inúmeros problemas na saúde mental. Consequentemente, o físico e o emocional são afetados, influenciando negativamente na concentração, ou seja, a produção cai, assim como a disposição.

E a situação não se modificou com o home office. Pelo contrário, muita gente passou a trabalhar ainda mais, sobrecarregando o cérebro e o corpo como um todo — situação prejudicial à saúde. Assim, para evitar afastamentos e motivar mais os colaboradores, muitas empresas têm optado pelo mindfulness, como veremos agora.

O que é o mindfulness nas empresas?

Mindfulness é uma palavra que significa claridade mental e também meditação, ou seja, manter o foco no presente, com consciência, sendo vigilante de si mesmo. De origem budista, o termo faz referência a técnicas que combatem ao estresse, tendo como precursor o médico e cientista Jon Kabat-Zinn.

Na era digital, o mindfulness tem um papel importantíssimo para os profissionais se autoconhecerem, deixando de lado as inúmeras distrações. Ao praticar o olhar para o agora, é possível se tornar mais resiliente e disposto, aproveitando o dia na integralidade com ações que estejam voltadas para a valorização da qualidade de vida.

Assim, o mindfulness nas empresas vem sendo uma prática comum, principalmente nas multinacionais, pois os gestores perceberam que os resultados são altamente positivos. Afinal, com a mente mais clara, as atitudes ficam sistematizadas e o índice de produtividade melhora consideravelmente.

Quais os benefícios do mindfulness nas empresas?

Primeiramente, o mindfulness ajuda a melhorar o ambiente corporativo, pelo fato de auxiliar na saúde mental dos colaboradores. Os exercícios de concentração e foco proporcionam o autocontrole, ou seja, as pessoas se engajam mais em relação às metas pré-estabelecidas. Além disso, a criatividade se torna presente no dia a dia, sem falar em resultados altamente positivos na memória e nas soluções de problemas.

Isso porque a atenção plena, seja por meio da respiração ou foco em algum objeto, aumentam a conscientização, fazendo com que os colaboradores evitem a impulsividade ou tomadas de decisões sem um embasamento correto. Mas, os benefícios não param por aí.

Melhora a confiança

O mindfulness elimina as situações de vitimização, fazendo com que os funcionários tenham mais confiança. Dessa maneira, é fundamental para auxiliar os líderes no processo de inspiração dos demais. Assim, a equipe fica mais unida e engajada. No dia a dia, há uma exponencial melhora na performance, contribuindo com resultados positivos e também no quadro de ansiedade ou estresse.

Maior qualidade de vida

Ao praticar a atenção plena, os colaboradores conseguem olhar mais para si mesmos e começam a modificar maus hábitos, como sedentarismo, tabagismo ou excesso na ingestão de bebidas alcoólicas. São atitudes que estão sintonizadas com o ganho de qualidade de vida e bem-estar. Ao viverem melhor, também terão mais harmonia, fazendo com que o ambiente corporativo fique mais tranquilo e propício à produtividade.

Retenção de talentos

As empresas que investem em mindfulness são preocupadas com o bem-estar dos colaboradores e adotam outros tipos de benefícios que contribuem com a valorização dos talentos. Dessa forma, a rotatividade de funcionário se reduz acentuadamente, mantendo o nível de competitividade — aspecto fundamental para desbancar a concorrência.

Mais concentração nas reuniões

Inúmeras empresas adotam as técnicas de mindfulness no início das reuniões, conseguindo obter melhores resultados, por conta do nível de concentração que aumenta consideravelmente. Assim, as orientações são absorvidas com mais qualidade, com ganhos consideráveis na comunicação, ou seja, a possibilidade de erros se reduz.

Como aplicar o conceito na prática?

Para colocar em prática o mindfulness, o departamento de Recursos Humanos precisa investir na mudança da cultura organizacional da empresa. A primeira dica é conhecer profundamente os pontos positivos e negativos da companhia e o que precisa ser feito para melhorar os resultados. Percebendo que o nível de concentração e motivação dos colaboradores está em baixa, o mindfulness pode ser um excelente alternativa.

Fazendo parte da saúde integrativa, a técnica necessita de um espaço bem tranquilo, clean e com assentos confortáveis. Caso haja espaços externos próximos de árvores e plantas, também podem ser utilizados para a prática do método. Assim, os colaboradores devem se concentrar na respiração, sentindo a circulação sanguínea e o pulsar do coração e mantendo o foco na situação presente, com o mínimo de interferências no pensamento.

Caso os funcionários não conheçam a técnica, vale a pena contratar um orientador para fazer a iniciação, por meio de uma palestra informativa. Com o conhecimento, será possível colocar em prática, por meio de poucos minutos antes das atividades laborais, nos intervalos para o almoço ou antes de uma reunião, como enfatizamos acima.

A dica é respirar sentindo as emoções, sempre com um olhar de agradecimento pela existência e oportunidades. Trata-se de uma espécie de reflexão de si para consigo mesmo. O silêncio é primordial e deve sempre ser valorizado, evitando qualquer tipo de distração. Após meses de prática, o mindfulness nas empresas será muito valorizado, sendo um investimento com retorno garantido.

E você, ficou com alguma dúvida? Esse post foi útil? Aproveite e deixe aqui o seu comentário e participe conosco dessa reflexão!